Qual metodologia escolher no Homeschooling?

Olá FamíliaUP!

Uma das belezas da Ed. Domiciliar é poder escolher qual metodologia sua família se identifica e quer seguir ou como é o nosso caso, aproveitar e abusar um pouquinho de cada uma dentro dos objetivos traçados no início do ano e o perfil de cada filho.

Aqui separei de forma breve 5 metodologias. Vamos conhecer?

Tradicional: Todos conhecemos muito bem, porque passamos por ela na escola. Basicamente trabalha-se com livros didáticos, lista de exercícios e conteúdos que precisam ser memorizados para realização de uma avaliação. 
Como conhecemos muito bem, a grande maioria dos pais no processo de desescolarização, na transição da escola para a educação domiciliar, utilizam-se do método tradicional, até se “encontrarem”, mas  lembre-se que fomos escolarizados, e fazer diferente torna-se um desafio diário e essa é a grande beleza da escolha pelo homeschooling.

Clássica: tem como ênfase aprender a pensar. Baseada no modelo do Trivium, que é um modelo divido em 3 fases: estágio da gramática que ocorre mais ou menos de 5 a 10 anos (a criança decora tudo o que vê: nome de plantas, bandeiras, listas, músicas…), o estágio da lógica, ocorrendo mais ou menos entre 10 e 14 anos no qual a criança resgata a informação apreendida na fase da gramática e começa a se perguntar, mas por quê? Como assim? Como funciona? e o estágio da retórica, ocorrendo a partir dos 14 anos, no qual o adolescente aprende a argumentar, a perceber um argumento falso, e a expor seus pensamentos adequadamente por meio da escrita ou da fala. 
Esse modelo treina a criança para o autodidatismo. Lá pelo meio da fase da lógica, a criança já é capaz de buscar o conhecimento, peneirar o que é pertinente e aprender de maneira autônoma. 

Charlotte Manson: A ênfase desse método é formar o indivíduo de forma pessoal, estabelecendo relações com Deus, com as pessoas no passado e no presente, e com a criação que o circunda. Utiliza-se de literatura e de biografias, ao contrário de livros textos. Os livros e as biografias podem fornecer todo um conteúdo, mas diferentemente dos livros textos que narram a história “nua e crua”, a literatura consegue fazer com que a emoção e a imaginação sejam os mediadores da aprendizagem. Ao invés de se fazer várias perguntas sobre a leitura do texto, a criança tem a tarefa de recontar o que foi lido, oralmente para as mais novas e na forma escrita, para as mais velhas.
Como foi dito, pode-se trabalhar os diversos conteúdos em apenas uma única história. O currículo torna-se riquíssimo, pois a variedade da literatura é quase infinita.

Unit Studies: A ênfase desse modelo é aprender a fazer. 
Escolhe-se um tema, e então relaciona-se todas as disciplinas ao tema escolhido. Geralmente envolve muito projetos manuais. A criança aprende enquanto se movimenta, se desloca, enquanto trabalha com suas mãos. 

Unschooling: A ênfase é aprender vivendo, pela experiência. 
Segue o interesse da criança. É uma forma de educação livre. Pergunta-se (ou não) a criança: “O que deseja aprender hoje? Ok, então vamos!”

E aí, difícil escolher né?
Bora estudar e observar os pequenos para saber qual a melhor metodologia.

Um forte abraço,
Ju



Comentários (0)


Deixe um comentário